Ghosts of War: Brenton Thwaites credita Eric Bress como sua maior razão de estrelar o filme

Publicado por deborah em 19 de jul de 2020

Ao relembrar como ele se tornou parte do filme, o astro australiano de 30 anos credita o escritor/diretor Eric Bress como a maior razão para seu desejo de estrelar o filme, olhando com carinho para sua estreia na direção em 2004 como fonte de referência do motivo pelo qual ele confiou a Bress essa história.

“Ele acabou de criar um filme tão legal em Efeito Borboleta que pensei: ‘Uau, isso vai ser repleto de elementos sutis, dicas e olhos atentos’ e eu li e achei que esses personagens são bem desenvolvidos na página um”, lembrou Thwaites. “Em resumo, este é um mundo tão realista no aspecto dramático do filme na Segunda Guerra Mundial, que eu estava certo desde o início, queria saber para onde esses homens iriam. Eu amo a ideia de começar o filme de tal maneira que carrega tanto peso com esses caras e isso nos permite realmente entender cada personagem e tipo de onde eles estão e onde estão emocionalmente e como se sentem sobre a guerra e foi isso. O resto do filme, o aspecto de horror e a multi-geração foram ótimos, isso é algo que eu nunca havia feito antes. Mas, na verdade, foram as primeiras páginas de abertura desse grupo cansado de homens que lutam na Segunda Guerra Mundial há meses.”

Thwaites descreveu a ponte que Bress construiu entre os gêneros de terror e drama na Segunda Guerra Mundial como “sem esforço”, elogiando o fato de que, no primeiro ato do filme, “não há indícios de horror maciço de verdade” de uma “força sobrenatural terrível” aparecer mais tarde no filme.

“Achamos que será uma obra de arte e presumimos que esses caras estejam no território nazista, sabemos o que está por vir, já vimos esse filme antes, conhecemos todas as armas que temos e, falando que tem a capacidade de iluminar esta casa e ter um ótimo show de armas”, descreveu Thwaites. “Mas ele meio que puxa o tapete debaixo de nós e vira o filme em uma direção totalmente diferente, sem esforço, e essa foi uma das coisas que eu pensei que era 1) realmente única, mas 2) foi uma ótima oportunidade para esses personagens só se desenvolvem mais e afundam ainda mais no cansaço, no estresse e no tipo de névoa mental.”

Explorar o esgotamento de seu personagem e como ele se espalharia para o “nível de poder” que ele teria como tenente era “algo que eu estava questionando” e provou ser um dos maiores desafios criativos para a estrela dos Titãs.

“Eu obviamente não queria gritar com eles para desistir e me dar 20 [de descanso], mas obviamente não queria levar o ar de alguém que não pudesse controlá-los ou liderá-los, mas estava encontrando esse meio termo, ser compassivo, ser confiável como líder e também criar esse tom para onde os meninos me procuram para buscar orientação e direção”, explicou Thwaites. “Quando não sei o que fazer, esse é o tipo de gota d’água, se não sei o que fazer ou para onde ir, esse é o fim do poder e há confusão e um pouco mais de ansiedade sobre o que vai acontecer porque seu líder não sabe. Trabalhando com Eric, ele estava mais inclinado para a linha compassiva, mais vulnerável e cansada, e eu também, então isso funcionou”.

Olhando para o resto de seus membros do elenco, que inclui Alan Ritchson (Teenage Mutant Ninja Turtles), Skyler Astin (Zooey’s Extraordinary Playlist), Kyle Gallner (Interrogation) e Theo Rossi (Luke Cage), ele descobriu que “os caras eram maravilhosos de se trabalhar”, recordando com carinho o tempo que passaram na Bulgária nos sets e fora.

“Todos nós ficamos no mesmo hotel, a maioria de nós estava em um estágio em que tínhamos filhos e estamos entrando nesse estágio de ser pai e no estágio seguinte de nossas carreiras, então já tínhamos construído um relacionamento inconscientemente”, Thwaites relatou. “Além disso, com a preparação envolvida em campos de treinamento, que envolveram diferentes sessões de exibição de filmes com Eric Bress, assistimos ao filme O Resgate do Soldado Ryan para entender onde Eric queria abrir o filme e como ele queria que sentíssemos e tentar imitar esse tipo de cena desses caras viajando pelo país e quão cansados ​​eles estariam e a grande merda que é para o líder da equipe dizer que eles foram na direção errada e as consequências que poderiam ter. Comer juntos e passar tempo juntos é uma das melhores preparações que você pode ter e fizemos uma tonelada disso.”

Embora agora tenha chegado às plataformas digitais após sua estreia na DirecTV em junho, Ghosts of War foi filmado há mais de dois anos e marcou a primeira vez que Thwaites e Ritchson trabalharam juntos antes de se reunir com os Titãs do DC Universe.

“Alan é um ator tão maravilhoso, seu timing cômico é um dos melhores que eu já vi e suas cenas de drama são talentosas, ele se compromete com o momento como ninguém que já vi”, observou Thwaites. “Este é um filme difícil para ele, porque ele tem todos os momentos intensos da equipe, uma grande parte das coisas ruins acontece com ele em um sentido e sem ele sem comprometer com seus momentos, isso suavizaria o momento nessas cenas, então ele trouxe uma grande fisicalidade e comprometimento com a equipe.”

Fonte: Coming Soon

Tradução e adaptação: Brenton Thwaites Brasil