Diretor de Ghosts of War fala sobre a preparação do elenco para o filme

Publicado por deborah em 19 de jul de 2020

O diretor Eric Bress concedeu entrevista ao site Daily Dead, onde fala sobre a criação e produção do seu novo Thriller, Ghosts of War. Entre os assuntos abordados, Bress conta como foi a preparação do elenco para o filme. Confira:

Você trabalha com um elenco incrível em Ghosts of War, incluindo Brenton Thwaites, Theo Rossi, Kyle Gallner, Skylar Astin e Alan Ritchson. Eles passaram por algum treinamento de combate para trabalharem juntos como uma unidade militar?

Eric Bress: Você ouve as histórias do elenco de O Resgate do Soldado Ryan trabalhando juntos, exceto Matt Damon, ou que o elenco de Corações de Ferro que teve que lutar primeiro antes de filmar como um mecanismo de vínculo. Até o elenco de Clube dos Cafajestes foi separado por fraternidades designadas para mantê-los inimigos, mesmo quando as câmeras não estavam rolando. Eu não tinha o elenco por tempo suficiente na Bulgária para fazer isso e acho que não teria. Esses atores são todos profissionais que fizeram um ótimo trabalho e não tenho certeza se bater um no outro teria impactado suas performances de alguma maneira que faria diferença para mim. Talvez se tivéssemos um orçamento muito maior e pudéssemos hospedar atores por seis semanas durante a pré-produção, eu tivesse jogado esses tipos de jogos de acampamento de verão com eles, mas em terrenos com pouco orçamento, não há tempo para isso.

O essencial era o treinamento em armas. Eu os queria intimamente familiarizados com suas armas. Carregadores de fuzis, fundas, botões de liberação, etc. Eu sou um pouco louco em minha vida privada e não suporto ver atores em tela que seguram suas armas erradas ou ouvir um martelo atirando em uma pistola disparada por um atacante – um som inventado feito na sala de edição que anuncia: “Eu fiz algo com a arma e agora estou realmente pronto para atirar em você”. Eu sempre incentivei os caras a brincar com suas armas entre as tomadas apenas para que tudo fosse uma segunda natureza para eles. Também tivemos um consultor que os ensinou a carregar suas armas, mover-se, limpar o ambiente etc., da maneira que teria sido feito em 1944. Muita coisa mudou desde então no que diz respeito às táticas de combate, e eu queria isso para sentir autêntico.

Ghosts of War já está disponível nos serviços de demanda.

Fonte: Daily Dead

Tradução e adaptação: Brenton Thwaites Brasil