Brenton Thwaites concede entrevista ao SFX Magazine

Publicado por deborah em 11 de ago de 2021

Brenton Thwaites é destaque, ao lado de Curran Walters,  na capa da SFX Magazine, edição de agosto, com seus personagens em Titans. Brenton concedeu uma entrevista falando um pouco mais sobre Dick Grayson/Asa Noturna, seus relacionamentos com Barbara Gordon e Jason Todd, além de relevar o que gostaria para o futuro do personagem. Confira a tradução:

De que forma Dick Grayson se destacou?

Essa jornada de Dick encontrando a identidade de Asa Noturna, tendo a confiança e lutando contra o crime, é onde chegamos no final da terceira temporada. Sempre haverá falhas e falhas de caráter, e coisas que ele poderia fazer melhor. Por exemplo, liderança, tomada de decisões e lealdade são morais pelas quais Dick vive firmemente. Começando de um lugar na primeira temporada, onde o vimos perdido na estrada, buscando um pouco a consciência e terminando a terceira temporada com o Asa Noturna em um lugar de assumir aquele papel de liderança heroico, eu sinto que vimos tudo no meio.

Como você descreveria o relacionamento de Dick com Barbara Gordon, no passado e no presente?

Dick cresceu com Barbara. Eles tiveram um relacionamento quando eram mais jovens. Dick saiu de Gotham. Voltando à Gotham, o que é desafiador para Dick, ele precisa explicar um pouco sobre o motivo de sua saída. Mesmo que Barbara entendesse e apoiasse isso, naquele intervalo de tempo ela teve seu incidente com o Coringa. Ela foi colocada em uma cadeira de rodas. Dick ficou longe. Ele não voltou para ajudar Barbara ou apoiá-la. O relacionamento deles é agridoce; existe amor aí, existe respeito. Quando eles se encontram pela primeira vez na terceira temporada, há muita história entre eles. Há definitivamente uma história romântica, mas também muita desconfiança. A terceira temporada é sobre recuperar essa confiança e trabalhar juntos.

Jason Todd obviamente se sente traído pelos Titãs. Como isso se encaixa com Dick?

A ambição do Asa Noturna de ser um grande líder tem seus defeitos. Ele está liderando essa equipe quase por necessidade e aprendendo à medida que avança. Ele não quer ser o líder que Bruce Wayne foi. Ele conhece o efeito disso pessoalmente. Eu sinto que ele fez um bom trabalho, mas uma dessas falhas é Jason Todd. Ele é um personagem que precisava de um pouco mais de apoio, de um pouco mais de espaço sob a proteção de Dick. Dick meio que empurrou Jason para fora e esperava que ele descobrisse o mesmo conjunto de princípios morais que havia descoberto por conta própria – por exemplo, o que é certo ou errado deve ser bem claro. Jason adora lutar contra o mal, mas também tem aquela ameaça que pode criar o mal. Esse tipo de linha cinza de Jason Todd sempre preocupou Dick.

De qual sequência de luta você está mais orgulhoso nesta temporada? E qual deixou você mais machucado e dolorido?

Há um no episódio quatro na floresta. É uma luta do Asa Noturna/Capuz Vermelho. Há algo sobre lutar na floresta que é tão legal e muito cinematográfico e ambicioso em sua localização. Foi uma luta longa, o que é meio raro nesse programa porque só temos um dia para filmar uma luta. Não somos um longa-metragem. Não temos uma semana inteira ou um milhão de dólares. Para este, fomos capazes de filmar a duração de nossa sequência de luta, que geralmente é cortada. Este também tem uma nova dinâmica, que é o tiroteio. A grande questão era: com Asa Noturna lutando contra Capuz Vermelho, como podemos tornar esses desarmes de balas e armas críveis, mas também legais? Mas algo funcionou. Nós apenas tentamos.

Como alguém que mergulhou fundo nos quadrinhos, o que você espera explorar com Dick no próximo ano?

O que eu adoraria ver é algo que realmente demonstre sua dor, na forma do personagem. Falamos sobre isso em cenas, e mencionamos aqui e ali, mas algum tipo de arco da história que o afasta de ser um líder e o força a refletir sobre ser uma pessoa melhor. Todas essas falhas vêm de algum lugar. Na terceira temporada, Bruce diz a ele: “Se você quer ser um Batman melhor, se acha que estou falhando, vá em frente”. Dick é forçado a se olhar no espelho, mas há coisas a fazer. Há Gotham para salvar. Há os Titãs para cuidar. Eu adoraria vê-lo se afastar um pouco disso e encontrar um personagem que o obriga a olhar para quem ele é e crescer como pessoa.

Fonte: SFX Magazine

Tradução e adaptação: Brenton Thwaites Brasil